Dermatologista causa cegueira e Dentista tenta reverter necrose

Erros de médico causa cegueira, enquanto dentista trabalha para reverter necrose em rinomodelação URGENTE – NOVA ATUALIZAÇÃO EM 06/05/2019 Tal notícia da necrose surgiu de inúmeras mensagens trocadas em diversos grupos de Whatsapp. A tese (versão inicial) é de que tudo isso se originou a partir da uma rinomodelação com ácido hialurônico por meio de […]

Erros de médico causa cegueira, enquanto dentista trabalha para reverter necrose em rinomodelação

URGENTE – NOVA ATUALIZAÇÃO EM 06/05/2019

Tal notícia da necrose surgiu de inúmeras mensagens trocadas em diversos grupos de Whatsapp. A tese (versão inicial) é de que tudo isso se originou a partir da uma rinomodelação com ácido hialurônico por meio de uma médica dermatologista em São Paulo com infeliz desfecho à paciente e sua família.

Após a publicação da matéria, o blog recebeu inúmeros contatos, via telefone e também pelas redes sociais, com uma gama enorme de detalhes sobre o caso.

Analisamos todo material recebido por estas pessoas, que vão desde especialistas até algumas pessoas do público geral. Assim sendo, conseguimos isolar duas situações distintas. Vale ressaltar que as imagens foram difundidas em grupos de especialistas no WhatsApp e que as informações cedidas são de acordo com relatos.

Necrose causada por uma cirurgiã-dentista?

[widgetkit id=”161″ name=”dentista causa necrose”]

Na primeira situação, recebemos o contato de uma associação internacional de dentistas com sede no Brasil e presidida por uma cirurgiã-dentista. Ela declarou que as fotos da necrose pertencem a outra colega e que tais fotos fazem parte de um artigo científico para estudo de caso.

Ainda segundo o contato, as fotos estão sendo publicadas em periódicos internacionais e tem confidencialidade atrelada à sua divulgação. Ela também alega não saber como as fotos foram divulgadas nas redes sociais, pois isso pode causar constrangimento à paciente.

De acordo com a presidente de tal instituição que mencionamos no início do caso, a cirurgiã-dentista citada e que se intitula proprietária das imagens foi o profissional que socorreu a paciente no hospital, já com a necrose, e fez o procedimento para a reparação do processo.

Procedimentos de preenchimento que atingem as áreas do nariz (a pirâmide nasal integra o terço médio da face, da base do nariz e arcos até e espinha nasal anterior e o inferior desta região até a base da mandíbula), ou seja, em áreas específicas da região do terço superior da face, não são recomendados pelas metodologias mais seguras e nem realizado por profissionais mais responsáveis.

O risco pode ser pequeno, mas quando acontece é comparável a pular de paraquedas e falhar, ou seja, se der uma complicação não tem volta!

Caso sem divulgação na grande mídia

O que temos logo acima é um caso chocante, que através das fotos mostra um erro gravíssimo, mas que não sabemos realmente quem foi o profissional por trás de tal falha. Também não vimos nenhuma exposição na grande mídia. Diferente do que ocorre com biomédicos, farmacêuticos, enfermeiros e outras classes, que chegam a serem perseguidos e responderem por liminares descabíveis, não é verdade? Mas quem estava lá para denunciar tal erro estético? Quem estava lá para dar voz à pessoa que sofreu calada? Pois é, ninguém! Nenhuma grande mídia compareceu. Um profissional responsável pode sugerir outros métodos e tratamentos para alcançar o resultado esperado pelo paciente. Afinal, cirurgiões dentistas que atuam com harmonização orofacial deveriam zelar pela atuação ética e de excelência entre os colegas, procurando sempre evitar procedimentos estéticos que expõem o paciente de forma desnecessária. Sendo assim, o melhor a se fazer é evitar a realização de procedimentos como rinomodelação e aplicação de ácido hialurônico na região dos olhos, mesmo se o paciente insistir ou autorizar. Lamentamos pelo ocorrido. Esperamos que a situação da necrose nasal seja revertida, que tudo termine bem e que sirva de exemplo para que não se repita mais.

Cegueira causada por uma dermatologista?

[widgetkit id=”160″ name=”Dermatologista causa cegueira”]

Os relatos mais atualizados reforçam que uma dermatologista de São Paulo/SP aplicou ácido hialurônico na região dos olhos da paciente, o que resultou num erro estético gravíssimo denominado por Síndrome Ocular Isquêmica, ou seja, causou cegueira irreversível à uma paciente. A paciente das imagens, após o procedimento, teve seu quadro clínico agravado resultando em dores insuportáveis e SPL (sem percepção luminosa), ou seja, a paciente perdeu totalmente a visão.

Ao contrário do que foi relatado anteriormente, baseado em troca de mensagens de um grupo de Whatsapp, a dermatologista recorreu imediatamente à aplicação de hialuronidase, mas sem sucesso.

Depois, a dermatologista teria encaminhado o caso a um oftalmologista. Porém, mesmo com todas as medidas possíveis, o ácido hialurônico causou a oclusão de artéria da retina. Tal oftalmologista, segundo informações, teria aplicado hialuronidase intraconal, mas também sem sucesso. O mesmo profissional chegou a cogitar a hialuronidase intra-arterial, mas não prosseguiu, pois os efeitos colaterais sistêmicos poderiam ser imensuráveis. Na outra versão mencionada por nossos leitores, o caso de necrose no nariz foi atribuído erroneamente à médica dermatologista. Tal profissional não tem nada a ver com as outras fotos divulgadas.

O grande questionamento perante estas imagens é: como situações destas, tão graves e revoltantes, não caíram imediatamente na imprensa?

Chega a ser engraçado como existe uma verdadeira discriminação da imprensa, uma espécie de malhação do judas contra as demais classes da saúde, exceto quando médicos dermatologistas e cirurgiões plásticos erram e matam com procedimentos estéticos.

Biomédica esteta se indigna com a situação

Conversamos com uma biomédica esteta que destacou a importância que a classe dá ao paciente. Ela menciona o quão arriscado é o local que foi feito o procedimento na vítima. A biomédica esteta também se solidarizou com a situação enfrentada pela dermatologista.

“Nós, biomédicos estetas, procuramos evitar ao máximo esses tipos de procedimentos arriscados. Nossa conduta é sempre com procedimentos minimamente invasivos em áreas que não ofereçam riscos. Há áreas que são consideradas como seguras, mas se houver algum erro estético as consequências são mínimas e totalmente reversíveis. Agora, há áreas mais delicadas e mesmo que as chances possam ser mínimas, basta acontecer um único erro para acabar com a vida do paciente e a própria vida profissional. Haja visto o caso ocorrido em Olinda-PE, onde a colega cometeu um erro estético, mas com sorte tudo foi revertido e a jornalista está sã e salva! E ao que ficamos sabemos a biomédica teve que arcar com as despesas em quase 60 mil reais, não sofreu nenhum processo na justiça, mas desistiu da carreira na estética. O que a médica dermatologista vai passar não se compara a toda a dor e sofrimento da paciente. Esse tipo de coisa não se deseja nem para os inimigos. Desejo que tudo se resolva da melhor forma.”

Radiologista comenta caso da cegueira

Um médico responsável por radiografia avaliou todas as fotos e opinou sobre o caso. É algo realmente impressionante o que aconteceu.

“Por azar, o ácido hialurônico deve ter entrado em alguma veia que drenava para a veia oftálmica e acabou embolizando essa veia oftálmica, imagino eu, pelo que eu vi nas imagens. Entupiu a veia e aconteceu esse estrago todo. É aquele tipo de situação que o colega faz 1000, 2000 procedimentos e apenas 1 dá erro. Ninguém merece passar por isso!”

Medicina dermatológica enganosa

Médicos não são deuses e não se preocupam em evitar procedimentos mais arriscados por acharem que podem resolver todo o tipo de intercorrência.

Como sempre, ele tentam se garantir com antibióticos ou com colegas de outra especialidade para corrigir “cagadas”, como foi o caso da aplicação de ácido na região dos olhos feita por médica dermatologista. Além disso, como profissionais que se dizem renomados, com estudos “robustos”, se prestam a fazer este tipo de procedimento, tão arriscado e contraindicado por outras classes, até mesmo em âmbito internacional? E quando que encaminhar o paciente com cegueira ao colega oftalmologista iria resolver este tipo de caso? Aonde é que cabe agora aquele discurso que só médico tem condições de garantir a segurança dos pacientes? Quanta enganação! Esta situação deixada pela dermatologista só mostra o quanto médicos são desprovidos de recursos e não são soberanos em nada. Lhes falta muita humildade, principalmente, em termos coletivos e corporativos. Como confiar em profissionais que sequer respeitam e subestimam os colegas de outras profissões? O Conselho Federal de Medicina (CFM) juntamente de associações médicas vêm travando novas brigas no judiciário para assegurar reserva de mercado nos procedimentos estéticos minimamente invasivos. Sequer as demais especialidades da medicina estão reivindicando por privatividade. Infelizmente para a cirurgia plástica e dermatologia a pele é um órgão externo e por isso eles terão de se conformar em dividir o direito de intervenções com as demais profissões da saúde. Repare que nem oftalmologia, nem neurologia, nem cardiologia estão brigando por uma suposta invasão às suas competências privativas asseguradas pela Lei do Ato Médico. É uma grande cara de pau dessas duas especialidades se vitimizarem.

O que se conclui diante desses erros estéticos?

Independente de qual seja a situação, o que se tira de lição destes relatos é que, para um procedimento livre de riscos irreversíveis é necessário fazer um convencimento geral aos profissionais da saúde que atuam com estética minimamente invasiva.

É preciso conscientizar que existem procedimentos que possuem sim um baixo risco de intercorrências e complicações, mas que, dependendo da área/região do rosto, tal erro tende a ser irreversível.

Não é porque o profissional é médico que está imune a erros irreversíveis. Não se pode acreditar que, ao cobrar mais caro por um procedimento, vá trazer elevada qualidade e padrão de vida pra si e família. Basta um único erro para acabar com a vida profissional deste especialista, como também, do paciente e seus familiares. Mediante a estas informações, fica o nosso questionamento: qual o verdadeiro caso por trás destas imagens? Quem está falando a verdade?

Sobre a errata da matéria

Não temos problemas em reconhecer quando estamos errados.

Vale ressaltar que estamos sempre buscando por fontes confiáveis e que estamos sempre compromissados com a verdade dos fatos.

E que tal artigo, acima de tudo, tem caráter educativo e deve servir como um alerta aos profissionais da saúde e população. Evitem rinomodelação e aplicações de ácido hialurônico na região dos olhos. Não é a primeira vez que isso acontece. Não é a primeira vez que também fazemos este apelo. Então, gostou deste artigo? Deixe sua indignação nos comentários ou nas nossas redes sociais. Vamos responder a todos!

Comentário (2)

  • É mentirosa a informação de que a biomédica teria arcado com R$ 60 mil do meu tratamento. Primeiro, esse não foi o valor gasto. Segundo, ela não arcou com absolutamente NADA além dos primeiros remédios e do reembolso das passagens que perdi e que ela já tinha se comprometido a devolver. Quando cobrei a diferença das novas passagens e novos remédios ela se recusou a pagar. Ela continua sendo investigada por lesão corporal. Além disso o meu tratamento foi concluído e os advogados estão dando entrada no processo. Por que vocês não apuram direito antes de publicar as coisas de maneira totalmente irresponsável? Vocês sabem o que passei, não conseguem ter o mínimo de caráter e pensar na repercussão emocional para a minha vida antes de ficar publicando informação não confirmada. É monstruosidade atrás de monstruosidade.

      • Assessoria de Imprensa

        Priscilla bom dia! Acho que todas as parte sofreram e ainda sofrem, e não tão somente você. Quem foi à grande mídia fazer escândalo a serviço da classe médica foi você. Foi você quem buscou a super exposição do seu caso e imagem. Você é jornalista e deveria saber mais de interpretação de texto. Simplesmente reproduzimos um comentário de uma biomédica. Nós não afirmamos nada e não temos a obrigação de confirmar tal informação da maneira como foi colocada. Mentirosas foram as matérias pagas que você foi envolvida onde se alega que só médico pode fazer isso ou aquilo, inclusive a rinomodelação que nas mãos de qualquer profissional quando dá problema é de difícil reversão. Esse procedimento deveria ser banido, médicos não são deuses, está aí mais uma prova de várias! Casos envolvendo biomédicos e necrose no nariz por rinomodelação acho que infelizmente apenas o seu. Nosso artigo tem caráter educativo, sequer citamos o seu nome na matéria. Mais uma vez você se expõe em comentário. Assim como várias outras pessoas, você também deveria reconhecer que médico erra muito, mata muito e atende muito mal a população em geral, atendendo bem só quem paga bem… Eu no seu lugar estaria me sentindo com muita sorte pois seu caso foi revertido. O caso de necrose apresentado envolvendo cirurgiões dentistas talvez será revertido. O caso de cegueira envolvendo médica dermatologista infelizmente não tem mais o que ser feito. Está mais claro agora para nós que você pouco ou nada se sensibiliza com a parte do profissional, tampouco com a classe de profissionais da saúde que trabalha com estética para sobreviver. Agora, toda essa parte emocional sua com certeza agravada pela exposição de imagem que você se submete e depois não quer que as pessoas comentem sobre seu caso e tal parte de “sua vida”, que com certeza é maior que esse episódio… é incoerente, mas compreensível.

      Deixe um comentário

      O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

      © Copyright 2010-. Portal da Odontologia Estética.